BRASILCULTURA E ENTRETENIMENTO

A surpreendente perda de direitos autorais do Mickey Mouse e suas implicações

Saiba qual é o futuro do personagem Mickey Mouse

mickey mouse direitos autorais
Imagem – Reprodução

Enquanto o mundo comemorava a chegada do ano novo, uma imagem inusitada chamou a atenção no primeiro dia de janeiro de 2024. A silhueta do adorado Mickey Mouse, iluminado pela lua e segurando uma faca, destacou-se entre as festividades. O motivo? Mickey entrou para a lista de domínio público.

Perda dos direitos autorais

A Disney perdeu os direitos autorais sobre o icônico personagem que estavam em vigor desde 1928, quando estreou o filme “O Barco a Vapor”. Com a legislação americana que protege obras produzidas antes de 1978 por 95 anos, o Mickey do “barco a vapor” tornou-se disponível para uma nova vida no primeiro dia do ano.

Implicações do domínio público

O domínio público permite que qualquer pessoa copie, compartilhe, reutilize ou adapte o projeto original sem a necessidade de permissão do criador. No entanto, é importante ressaltar que apenas a versão em preto e branco de 1928 está incluída nesse status, não afetando outras representações modernas do Mickey Mouse, mantidas sob os direitos autorais da Disney.

Futuro de outros personagens

A empresa afirmou que continuará protegendo os direitos sobre as versões mais recentes do Mickey e outras obras ainda sujeitas a direitos autorais. No entanto, o precedente estabelecido levanta questões sobre o futuro de outros personagens, como Pluto em 2026, Pato Donald em 2030 e Patolino em 2033, que correm o risco de entrar para o domínio público.

Consequências observadas

A perda dos direitos autorais do Ursinho Pooh em 2022 serviu como um exemplo, resultando em um filme de terror intitulado “Ursinho Pooh: Sangue e Mel”. Seguindo a mesma tendência, anúncios de filmes aterrorizantes com o Mickey foram feitos no mesmo dia da perda dos direitos, mostrando um lado sombrio do personagem querido há décadas.

Conclusão

A perda dos direitos autorais do Mickey Mouse marcou o início de um novo capítulo no mundo do entretenimento. Enquanto a Disney continua a proteger suas representações mais recentes, a perspectiva de outros personagens entrarem para o domínio público levanta questões sobre o futuro do universo da animação e as possíveis consequências desse cenário para a cultura popular.

Vitor Pavanelli

Jornalista - Sócio-Proprietário. contatovitorpavanelli@outlook.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo