BRASIL

Fisioterapeuta é flagrada dançando com recém-nascido no bolso do jaleco em hospital de Itajaí

Hospital Marieta Konder Bornhausen adota medidas rigorosas após o vídeo viralizar nas redes sociais

Uma situação chocante envolvendo uma fisioterapeuta foi capturada em vídeo, mostrando a profissional dançando enquanto atendia um recém-nascido, que estava no bolso do seu jaleco, no Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen, localizado em Itajaí. A unidade de saúde, controlada pela iniciativa privada, classificou o incidente como isolado e declarado, por meio de uma nota oficial, que todas as medidas jurídicas estão sendo adotadas com o máximo rigor possível. A instituição busca identificar todos os envolvidos no episódio.

Cenas perturbadoras gravadas no hospital

No vídeo que viralizou nas redes sociais, é possível ver a fisioterapeuta e, pelo menos, outra pessoa, que está filmando a cena, rindo enquanto profissional realiza uma coreografia ao som de uma música. O bebê, surpreendentemente, é visto acomodado no bolso do jaleco da fisioterapeuta durante o atendimento.

Fisioterapeuta dança com bebê no colo
(Foto: Redes Sociais)

Ministério Público e Conselho Regional de Fisioterapia entram em ação

A denúncia do ocorrido foi encaminhada ao promotor da infância e adolescência, Diego Rodrigo Pinheiro, pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Uma instituição comunicou que a denúncia será protocolada e devidamente atendida. A fisioterapeuta responsável pelo atendimento foi identificada e contratada por uma empresa que presta serviços à unidade de saúde. A investigação também busca identificar as outras pessoas presentes no vídeo.

O Conselho Regional de Fisioterapia foi informado do incidente e acionou o departamento de fiscalização. Um profissional envolvido terá seu registro suspenso até o final do procedimento administrativo ou, até mesmo, cassado.

Autoridades se pronunciam sobre o caso

O vereador Osmar Teixeira, membro da Comissão de Saúde da Câmara de Itajaí, divulgou o vídeo em suas redes sociais, descrevendo uma situação como absurda e assustadora. Ele conversou com a diretora-chefe da unidade e encaminhou o caso ao MPSC.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) lamentou profundamente o incidente e afirmou que as situações assim são inadmissíveis. A SES irá acompanhar e apurar os fatos em conjunto com o Hospital Marieta Konder Bornhausen, que, embora não faça parte da rede própria da SES, é contratualizado para atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A Polícia Civil também está envolvida no caso, observando se houve risco à saúde da criança e exposição vexatória do recém-nascido, o que pode configurar um crime. Até o momento, a Civil não recebeu nenhuma requisição do MPSC relacionada ao vídeo.

Vitor Pavanelli

Jornalista - Sócio-Proprietário. contatovitorpavanelli@outlook.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo