POLÍTICA

Operação da Polícia Federal Alcança Figuras Ligadas ao Ex-Presidente Bolsonaro por Desvio de Bens Estrangeiros

Ex-ajudantes de ordens de Bolsonaro e Advogado Defensor da Família São Alvos

Uma operação conduzida pela Polícia Federal (PF), deflagrada nesta sexta-feira (11), coloca sob investigação três indivíduos de destaque: Osmar Crivelatti, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro e tenente do Exército; o general do Exército Mauro Cesar Lorena Cid, pai do ex-ajudante de ordens Mauro Cesar Barbosa Cid; e o advogado Frederick Wassef, que já defendeu a família Bolsonaro. Essa ação é resultado de suspeitas de desvio de bens estrangeiros de alto valor patrimonial, presumivelmente realizados por meio de vendas no exterior.

Mandados de Busca e Apreensão Cumpridos em Diversos Locais

Segundo comunicado emitido pela Polícia Federal, operação envolve a execução de quatro mandados de busca e apreensão em diferentes cidades: dois em Brasília, um em São Paulo e outro em Niterói (RJ). Os indivíduos investigados são suspeitos de usar a estrutura do Estado para direcionar bens de grande valor, provenientes de missões oficiais, para vendas no exterior.

Sede da Policia Federal
(Foto: Divulgação)

Investigação Autorizada pelo STF e Vínculo com Milícias Digitais

A operação em questão foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, dentro do contexto do inquérito sobre milícias digitais. O documento do STF destaca um caso específico envolvendo joias originárias da Arábia Saudita, entregues como presentes ao então presidente Jair Bolsonaro e sua esposa, Michelle Bolsonaro. Essas joias entraram no país durante uma comitiva do Ministério de Minas e Energia, após visitas oficiais no Oriente Médio.

“Lucas 12:2”: Nome da Operação Faz Referência a Passagem Bíblica

A PF nomeou a operação como “Lucas 12:2”, fazendo referência ao versículo 12:2 da Bíblia, que declara: “Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou oculto que não venha a ser conhecido”. Segundo a corporação, as ações em investigação se enquadram nos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Determinações do Ministro Moraes e Conexão com Acervo Privado

A decisão do ministro Moraes inclui a autorização para busca e apreensão de diversos itens, como computadores, mídias de processamento, documentos físicos e outros meios eletrônicos relacionados à possível prática criminosa. Além disso, Moraes instrui o Gabinete Adjunto de Documentação Histórica (GADH) a fornecer, em cinco dias, os documentos que instruiram os processos de destinação de bens ao acervo privado de Jair Bolsonaro.

Essa operação se insere em um contexto de investigação que aborda alegações de desvio de bens de origem estrangeira, levantando questionamentos sobre a utilização da estrutura estatal para fins particulares.

Vitor Pavanelli

Jornalista - Sócio-Proprietário. contatovitorpavanelli@outlook.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo