BRASIL

Vídeo: Mãe denuncia preconceito contra filho autista em loja da Riachuelo em Feira de Santana

Caso ocorreu na Riachuelo do Boulevard Shopping, em Feira de Santana

mãe fala sobre filho com autismo na riachuelo
Imagem: Reprodução/internet

Uma mãe relatou um episódio de preconceito vivenciado por seu filho com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em uma loja de departamento da cidade de Feira de Santana. No momento em que apresentou a Carteira Nacional de Identificação da Pessoa com TEA, que garante prioridade no atendimento, a mulher foi vítima de comentários discriminatórios por parte de uma funcionária da Riachuelo do Boulevard Shopping.

Repercussão do caso evidencia a necessidade de conscientização sobre inclusão

Em um vídeo gravado pela mãe e divulgado nas redes sociais, é possível ver o desabafo da mulher, que é aplaudida por outros clientes presentes na loja. Ela ressalta a importância do respeito e afirma que seu filho não é uma “bomba”, exigindo consideração por parte dos funcionários. O vídeo gerou grande repercussão nas redes sociais, demonstrando a necessidade de conscientização sobre inclusão e respeito às pessoas com deficiência.

Vídeo:

Posicionamento da Riachuelo e medidas tomadas após o incidente

A Riachuelo lamentou profundamente o ocorrido e afirmou que o comportamento da funcionária envolvida não está alinhado com os valores defendidos pela empresa. Em nota oficial, a empresa destacou que já implementou uma nova “rodada extraordinária” de treinamentos e capacitação para todos os colaboradores, a fim de reforçar o respeito à diversidade e combater qualquer forma de preconceito. A empresa também ressaltou seu compromisso em proporcionar um ambiente inclusivo para todos os clientes. Especula-se que a funcionária foi demitida.

Importância da denúncia e reflexões sobre inclusão e respeito

O caso vivenciado pela mãe e seu filho com TEA reforça a importância de denunciar atos de preconceito e discriminação, visando a conscientização e a transformação de comportamentos inadequados. É fundamental promover debates e reflexões sobre inclusão, respeito à diversidade e aceitação das diferenças, para que situações como essa sejam cada vez mais raras. A sociedade como um todo precisa estar comprometida em construir um ambiente acolhedor e igualitário, onde todas as pessoas tenham seus direitos respeitados, independentemente de suas características ou condições.

Vitor Pavanelli

Jornalista - Sócio-Proprietário. contatovitorpavanelli@outlook.com

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo